domingo, 3 de janeiro de 2016

A LEI DA NÃO RESISTÊNCIA

Não resistais ao mal.
Mateus, 5:39
Não vos deixeis vencer pelo mal, mas vencei o mal com o bem.
São Paulo aos Romanos, 12:21
Maior é o que está em vós do que o que está no mundo.

João, 4:4

A lei da não-resistência é um princípio espiritual por meio do qual podeis harmonizar-vos com todos os obstáculos e oposições, mudando-os em elementos de progresso e aperfeiçoamento.

Na terra, nada pode resistir a uma pessoa absolutamente não resistente.

Dizem os chineses que a água é o elemento mais poderoso, porque é perfeitamente não-resistente. Não opondo resistência, pode arrebentar uma rocha e arrasta tudo o que estiver na sua frente.

Jesus Cristo disse: “Não resistais ao mal”, pois saiba que, na realidade, não existe mal, e, portanto, nada a que se deva resistir.

O mal provém da “má imaginação” humana ou da crença em dois poderes, o do bem e do mal.

Conforme a lenda primitiva, Adão e Eva comeram o fruto de “Maya, a Árvore da Ilusão”, e viram dois poderes em lugar de um só, que é Deus.

Portanto o mal é uma falsa lei que o homem estabeleceu para si mesmo, por meio do psicoma ou sono da alma.

Sono da alma é um estado da alma humana, hipnotizada pela crença racial do pecado, moléstia e morte; e essa crença é apenas um pensamento carnal ou moral e ilusório.

Como expliquei num capítulo anterior, vossa alma é vossa mente subconsciente, a qual recebe e expressa tudo o que sentirdes profundamente em vosso íntimo. Vosso corpo e vossos negócios são expressões exatas do que idealizardes em vossa imaginação ou vossa alma.

Se estiverdes doentes é porque mentalizastes moléstias; se sois pobres é porque pensastes na pobreza; se sois ricos é porque esperastes a riqueza.

Se me perguntardes por que as criancinhas atraem moléstias, embora sejam muito pequenas para saberem o que isso significa, vos responderei que elas são sensíveis e receptivas aos pensamentos dos que as rodeiam e muitas vezes expressam os temores dos pais.

Um professor de metafísica costumava dizer aos seus ouvintes: “Se não dirigirdes pessoalmente a vossa mente subconsciente, alguém a dirigirá em vosso lugar”.

Muitas vezes as mães atraem inconscientemente moléstias e desastres para seus filhos por alimentarem, amiúde, pensamentos de medo a respeito deles e estarem a todo momento observando se apresentam algum sintoma de moléstia.

Perguntando-se a uma senhora se sua filha tinha tido sarampo, respondeu prontamente: – “Ainda não!”

Isso denota que ela esperava a moléstia e, portanto, estava preparando o caminho para o que não queria para si nem para a filha.

Se vos centralizardes e firmardes no pensar reto, se apenas enviardes pensamentos de bondade para vosso próximo, e não tiverdes medo,  nunca sereis tocados ou influenciados pelos pensamentos negativos dos outros, pois só podereis receber pensamentos idênticos aos que emitirdes.

A resistência é para vós o inferno, pois vos coloca num “estado de tormento”.

Um metafísico apresentou certa vez aos seus amigos uma receita para ganhar todas as partidas no jogo da vida. A fórmula é o cúmulo da não-resistência. Dizia ele: “Em certos períodos de minha existência, fui ministro e batizei muitas crianças, dando-lhes os nomes mais variados. Hoje, porém, somente batizo os acontecimentos, dando a todos eles o mesmo nome. Se tenho um insucesso, batizo-o com o nome de triunfo, em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo”. Esse processo é uma aplicação da grande lei hermética da transmutação, efetuada por meio da não-resistência, não qual, empregando a palavra expressa, o indivíduo transforma o insucesso em êxito.

Uma senhora que conhecia a lei espiritual da opulência achou-se necessitada de dinheiro e se viu comercialmente em contato contínuo com um homem que a fazia sentir-se muito pobre. Ele falava sempre em dificuldades e limitações, e seus pensamentos de pobreza e prejuízo iam penetrando no subconsciente dela, o que a irritava e a levava a acusá-lo do seu insucesso. Ela sabia que, para se manifestar seu suprimento, devia primeiramente sentir que o tinha recebido, pois é preciso que um sentimento de opulência preceda a manifestação. Certa dia veio-lhe a ideia de que estava resistindo à situação e vendo dois poderes, em vez de um só. Em vista disso, abençoou a situação com nome de “Sucesso”.

Começou a fazer a seguinte afirmação: “Visto que só existe um poder, Deus, este homem esta aqui para meu bem e minha prosperidade”. (Exatamente o que parecia não ser).

Pouco tempo depois, por intermédio daquele homem, conheceu outra mulher que lhe deu, por serviços prestados, alguns milhares de dólares, e o homem mudou-se para uma cidade afastada, desaparecendo harmoniosamente de sua vida.

Fazei amiúde a seguinte afirmação: “Cada pessoa é um elo áureo da cadeia do meu bem, pois todos os homens são Deus em manifestação, à espera da oportunidade dada por mim para servirem ao plano divino de minha vida”.

Disse um metafísico: “Abençoai vosso inimigo e o privareis de sua munição”. Com efeito, assim as setas serão transformadas em bênçãos.

Essa é a lei verdadeira, tanto para os indivíduos como para as nações. Abençoai uma nação, enviai sentimentos de amor e bondade para todos os seus habitantes, e ela ficará destituída do poder de prejudicar-vos.

Só podereis adquirir uma ideia justa da não-resistência por meio do entendimento espiritual. Sem dúvida, ao aplicardes a lei da não-resistência, muitas vezes tereis um pensamento de revolta: “Não quero ser um capacho humano”. Entretanto, se empregardes a não-resistência com discernimento, ninguém será capaz de vos calcar os pés.

O emprego da lei da não-resistência é de grande valor, e notei muitas vezes que os pacientes melhoram muito ou curam rapidamente por essa forma.

Uma senhora, estudante mental, relatou-me o seguinte caso que lhe sucedeu:

“Certo dia, estava esperando impacientemente uma chamada ao telefone. Na minha ansiedade, resistia a todas as chamadas que me faziam e evitava falar telefonar aos outros, raciocinando que poderia obstar à chamada que esperava.

“Em lugar de pensar: ‘As ideias divinas nunca entram em conflito, a chamada virá em seu devido tempo, deixando à Inteligência Infinita a disposição das coisas’, comecei a dirigi-las, tomando sobre mim o encargo, em lugar de deixá-lo para Deus, ficando num estado de ansiedade e tensão nervosa. Durante uma hora a campainha deixou de soar, e então, olhando para o fone, verifiquei que estivera desligado durante aquele tempo todo. A minha ansiedade, o meu medo e a minha crença na interferência haviam produzido um eclipse total do telefone.

“Notando o que tinha sucedido, compreendi o meu erro e pus-me imediatamente a abençoar a situação. Batizei-a com o nome de ‘Êxito’ e fiz a seguinte afirmação: ‘Não posso perder qualquer chamada que me pertença por direito divino, estou sob a ação da graça e não da lei’.

“Um amigo correu ao telefone mais próximo e pediu à Companhia que restabelecesse à ligação. Entrou num armazém repleto de fregueses, cujo proprietário o atendeu imediatamente, pedindo à Companhia que fizesse a ligação. Meu telefone foi imediatamente ligado, e dois minutos depois recebi uma chamada importantíssima, e somente uma hora depois desta, a que estava esperando”.

Este caso vos mostra a inutilidade da precipitação e da ansiedade, que não fazem mais do que atrasar e dificultar as coisas.

É somente quando o mar está calmo que o vosso barco entra no porto.

Enquanto resistirdes a uma situação, ela continuará a existir. Se fugirdes, ela correrá ao vosso encalço.

Uma senhora contou a uma estudante do mentalismo o seguinte fato que lhe sucedera:

“Quanta verdade há no princípio da não-resistência! Eu era infeliz na casa materna. Não apreciava minha mãe, que estava habituada a criticar-me e queria dominar-me; casei-me pois, e sai de casa – porém, casei-me, por assim dizer, com minha mãe, porquanto meu marido era exatamente semelhante à minha mãe e tive que enfrentar de novo a mesma situação”.

Jesus disse: “Concordai imediatamente com o adversário”. Isso quer dizer que deveis concordar em que a situação contrária seja boa, que não deveis vos perturbar por ela, pois cairá por si mesma. A situação desarmônica que existe é o resultado de alguma desarmonia dentro de vós mesmo.

Se não existisse em vosso íntimo um estado emotivo correspondente a uma situação desarmoniosa, ela desapareceria imediatamente de vosso caminho. Por conseguinte, diante de qualquer situação desarmoniosa é preciso agirdes sobre vós mesmos e modificardes vossa atitude, para que ela desapareça.

Uma mentalista diz o seguinte:

“Amiúde me pedem: ‘Fazei tratamentos para mudar a disposição de meu marido ou de meu irmão’. A esses pedidos respondo invariavelmente: ‘Não; farei tratamentos para mudar vossa atitude, e quando a mudardes vosso esposo ou vosso irmão mudarão’.

“Uma das minhas estudantes tinha o hábito de mentir. Expliquei-lhe que isso era meio caminho para o insucesso e que lhe pagariam em mentiras. Respondeu-me: ‘Isso não me importa. Não posso viver sem mentir’.

“Certo dia, ela falava ao telefone com um homem a quem muito amava e, voltando-se para mim, disse: ‘Não confio nele; sei que está mentindo’. Respondi-lhe: ‘Está de acordo; mentis e assim os outros também vos mentirão, e podeis estar certa de que será exatamente a pessoa que quiserdes que vos seja mais sincera’.

“Algum tempo depois, encontrei-a e afirmou-me: ‘Estou curada do hábito de mentir’. Perguntei-lhe: ‘Que foi que vos curou?’ Explicou-me: ‘Estive vivendo na companhia de uma mulher que mentia mais que eu!’ De fato, muitas vezes, a pessoa é curada de suas faltas vendo-as nas outras”.

A vida é um espelho e vos vedes apenas refletidos em vossos companheiros. Viver no passado é um modo de vida que vos levará à ruína, sendo uma violação da lei espiritual.

Jesus Cristo disse, conforme São Paulo em Coríntos, II, cap. 6, versículo 2: “Eis agora o tempo aceitável, eis agora o dia da salvação”.

O passado e o futuro roubam-vos o tempo aproveitável. Deveis abençoar vosso passado e esquecê-lo, se vos mantém em limitações, e abençoar o futuro, sabendo que tem guardado para vós alegrias ilimitadas, e viverdes completamente no presente.

Uma mentalista americana narra o seguinte:

“Uma senhora se dirigiu a mim, queixando-se de que não tinha dinheiro para comprar presentes de Natal. Disse-me: ‘O ano passado foi muito diferente, tinha dinheiro em abundância e ofereci belos presentes, porém, este ano, só tenho alguns cêntimos’.

“Respondi-lhe: ‘Nunca alcançareis dinheiro pelo sentimentalismo e o viver no passado. Vivei inteiramente no presente e preparai-vos para dar presentes no Natal. Abri as vossas portas, o dinheiro virá’. Ela exclamou: ‘Sei o que devo fazer! Comprarei alguns cordões de ouro, selos de Natal e papel de embrulho’. Disse-lhe: ‘Fazei isso e os presentes se apresentarão e se amarrarão aos selos de Natal’.

“Isso também era mostrar coragem financeira e fé em Deus, pois a mente racional lhe dizia: ‘Conservai todo níquel que tiverdes, pois não tendes a certeza de que conseguireis alguma coisa mais’.

“Ela comprou os selos, papel e cordões e, alguns dias antes do Natal, recebeu um presente de várias centenas de dólares. A compra dos selos e cordões impressionara a sua mente subconsciente com a expectativa do dinheiro, abrindo o caminho para a manifestação dele, assim pode comprar todos os presentes com muita antecedência.”.

Vossa vida deve estar ligada ao momento! “Portanto – afirma um Mestre – olhai bem para o dia de hoje! Essa é a saudação da alvorada!”

Deveis estar espiritualmente alertas, esperando sempre vossas diretrizes e aproveitando toda oportunidade.

É muito útil começardes vosso dia com palavras retas. Imediatamente depois de levantar, fazei uma boa afirmação. Por exemplo, a seguinte:

“Seja feita a tua vontade hoje! Hoje é um dia de realização completa, dou graças a Deus pelo dia de hoje; milagres seguirão milagres e as maravilhas nunca cessarão”.

Adquiri o hábito de proceder dessa forma e vereis as maravilhas e os milagres se apresentarem continuamente em vossas vidas.

A seguinte afirmação produziu êxito para muitas pessoas:

“Tenho um admirável trabalho e sigo um maravilhoso caminho; presto um brilhante serviço e recebo magnífica compensação!”

O mentalista que a formulou deu a primeira parte a um estudante e este apresentou a segunda, fazendo dela uma poderosa afirmação, pois ela facilmente penetra no subconsciente e sempre deve haver perfeito pagamento para um serviço perfeito. O estudante que completou a fórmula pôs-se a cantar em voz alta aquelas palavras e, dentro de breve tempo, obteve um trabalho admirável, por um meio extraordinário, recebendo avultada compensação.

Outro estudante, homem de negócios, recebeu-a e mudou a palavra trabalho para negócio.

Repetiu muitas vezes: “Tenho um admirável negócio e sigo um luminoso caminho, prestando serviços extraordinários, com avultados lucros”. Apesar de que nada havia feito durante meses, naquela tarde fez um negócio em que ganhou quarenta e um mil dólares.

Toda afirmação que fizerdes deve ser cuidadosamente cominada para o vosso caso, ocupando plenamente o campo do objetivo que tendes em mira.

Havia uma senhora que, achando-se em grandes dificuldades, pôs-se  a pedir trabalho. Recebeu muito trabalho, porem não lhe pagaram coisa alguma. Notando o seu erro, acrescentou: “Admirável serviço por avultada paga”, e a prosperidade lhe sorriu.

Tendes o direito divino de possuir a abundância e receber mais do que o suficiente para vossa subsistência.

Diz o profeta: “Seu celeiro estará cheio e sua taça transbordante!”

Essa é a ideia de Deus a vosso respeito. Quando romperdes em vossa consciência as barreiras das necessidades, entrareis na Idade do Ouro, todo desejo justo de vosso coração será realizado.

Conheci um sapateiro que se encontrava na mais grave situação pois não ganhava o suficiente para a sua subsistência e pagamento de aluguel.

Aconselhei-o a que mentalizasse a chegada de numerosos clientes, que lhe traziam serviços e pagavam bem. Disse-lhe que agradecesse a Deus, como se já tivesse recebido.

Em poucos meses, sua situação melhorou e pôde pagar algumas dívidas mais prementes. Tudo lhe corria bem por algum tempo, e o negócio aumentava sempre, porém havia ainda algumas dívidas a pagar, e os credores, vendo a melhora, começaram a cobrar. Entretanto, em vez satisfazê-los à medida que recebia, conquistando assim a boa vontade dos credores, o homem pedia mais prazo, porque julgava que podia precisar de dinheiro nos dias imediatos e, assim, foi atraindo os maus pensamentos dos credores, de modo que as coisas foram piorando.

avisei-o, então, do seu erro e disse-lhe que devia ir pagando os credores à medida que fosse recebendo, sem pensar no amanhã, que estava nas mãos de Deus e podia ser melhor ainda.

O medo e a incredulidade, porém, parece que não o deixaram dar esse passo para a frente, sendo que ele ganha para viver honradamente, porem sem ter conseguido a abundância que possivelmente lhe estaria destinada.

A aplicação do princípio da não-resistência vos permitirá resolver numerosas dificuldades nas vossas relações com o próximo, como prova o exemplo a seguir. A senhora Agnes Mae Clasgow, conhecida mentalista norte-americana, relata o seguinte fato:

“Quando me encontrei pela primeira vez com o senhor Holden, disse-me que não tivera um só dia de sorte nos últimos dez anos. Isso  aconteceu há uns oito anos.* Alguns anos depois, quando tornei a vê-lo, estava tão sorridente que parecia dar vida ao próprio Sul e a se mostrava tão alegre como uma criança nos seus folguedos escolares. A sua maior infantilidade, disse fora a de ter pensado que tinha um inimigo real.

“Os inimigos – disse-me, após ter vencido as suas dificuldades com a aplicação dos conselhos que lhe dera – são como os pequenos buracos da estrada, que vos obrigam a ter cuidado na direção de vosso carro. Sabeis que vos é possível desviar dos buracos da estrada, a fim de não ficardes encalhados, nem sofrerdes solavancos.

“O motorista pode muito bem desviar o automóvel dos buracos, porém, se for um caminho pelo qual tenha de passar amiúde, fará melhor ainda tapando os buracos.

“O mesmo acontece com vossos inimigos se forem seres humanos, porquanto podeis fazer deles vossos amigos.

“Sei muito bem que alguém dirá que isso não depende totalmente de vós, porém sei que está em vossas mãos e que não precisais dizer nada a ninguém sobre isso. Apenas é necessário que vos assenteis calmamente e façais todos os esforços para encontrar em vosso inimigo alguma coisa divina de vossa apreciação e louvor. É fato que existe alguma bondade em todos e, se procurardes bem, a encontrareis.

Os pensamentos são coisas, e não podeis procurar alguma boa qualidade em vosso inimigo sem pensar bem dele, e é tão certo como o dia segue à noite que, a tomardes interesse nessa pesquisa – como certamente acontecerá, se fizerdes esforços para encontrar o grão de ouro no caráter dele –, tomareis um interesse profundo que vosso pensamento irá diretamente a ele, fazendo-o retribuir os vossos bons pensamentos. Eu o verifiquei. Isso é que constitui deixar o Espírito de justiça arrastar uma corrente de inimigos, conforme aquelas palavras de Isaías, cap.59, versículo 10: ‘Vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do Senhor o arrastará’. Esse trabalho é coisa interessante e muito útil.

“Estais sorrindo pelo meu entusiasmo, porém, se voltardes a vossa atenção para alguns anos passados, quando vos procurei pela primeira vez, e me dissestes, ao ver-me irritado contra meus inimigos, que, se continuasse assim, iria para a completa ruína física, moral e mental, não vos admirareis do meu sentimento. Dissestes, então, que todo pensamento de ódio que emitisse era como bola de borracha presa por uma corda que volta para o mesmo ponto e que os meus pensamentos atrairiam, assim, maior número de inimigos, formando uma força imensamente maior contra mim.

“Na ocasião, não pude aceitar essa ideia. O pensamento de vingança era uma espécie de bálsamo para os meus sentimentos ofendidos. Naquele tempo, os vossos ensinamentos me pareceram contrários à lei da justiça. Não podia admitir que um homem de falsidade e desonestidade comprovadas não sofresse o castigo de sua maldade. Achava-me irritado contra os que me haviam prejudicado e me parecia que devia relatar os fatos a todo mundo, mostrando onde estava o erro.

“Porém, disseste-me que o castigo do inimigo em nada me adiantava. Refleti muito sobre isso e, afinal, compreendi que não me trazia vantagens o esclarecimento da fraude.

“Pouco tempo depois, me escrevestes que, fossem quais fossem as aparências, atrás daquela manifestação e agindo por meio dela, se achava o poder que era capaz de produzir o meu maior bem, se eu, primeiramente em pensamento e depois nos meus atos, me harmonizasse com esse poder invisível. Harmonizar meus pensamentos seria como deitar óleo por cima da água agitada. O meu pensamento harmonioso acalmaria o pensamento daquele que procurava prejudicar-me e, para dar maior clareza à vossa afirmação, dissestes: ‘Quando, na vossa mente, deixais de pensar nas más intenções de alguém, extraís o veneno da serpente e ela não mais vos pode picar. Jesus nunca expressou uma verdade mais científica do que quando disse: Amai vossos inimigos e fazei bem aos que vos perseguem. Isso não quer dizer que deveis ser um capacho humano e vos fazerdes mártir da afeição que tiverdes. Se, ao procurardes beneficiar vossos inimigos, vos considerardes melhor do que eles, será preferível que lhes envieis ódio, porque essa falsa modéstia tira todo o valor de vossas obras. O que deveis fazer justamente é provar para vós mesmos que vosso inimigo não é  inteiramente mau, e que que não há necessidade de convencerdes os outros. Basta-vos adquirirdes a convicção que ele tem em si mesmo, qualidades que, se fossem desenvolvidas, vos causariam admiração’. Sim, senhora, é isso mesmo que me escrevestes numa ocasião em que estava desesperado, doente e sem meios, a tal ponto que não tinha mais esperança de reerguer-me. Saí pensando que os vossos ensinamentos serviam para as velhas ouvirem e não tinham valor algum para um homem experimentado como eu e que estava na mais completa ruína.

“Outro ponto sobre o que me falastes e que me impressionou muito, apesar de fazer todos os esforços para esquecê-lo, foi o seguinte: ‘Mateus Holden, ninguém é muito velho para começar de novo. Não me interessa saber que não tendes um dólar para começar. Se possuístes um dólar, se o ganhastes, sabeis qual a forma dele, que é que vos parece, qual a sensação que vos dá, que é que podeis fazer com ele. Podeis começar agora mesmo. Recordai-vos da forma de um dólar em papel, escolhei um que tenha uma águia gravada. Fechai os olhos. Mateus Holden, e pensai, pensai, pensai nesse dólar. Será para admirar, se, como tantos outros, não disserdes: Não aprecio o dinheiro; é a causa do mal; só quero o dinheiro para fazer o que preciso com ele. Porém, se admitirdes que DEUS É TUDO, que será essa moeda que estais pensando? Essa nota com uma águia e admiráveis gravuras e letras, com a promessa PAGAREI em belas letras? Se Deus é Tudo e O amais, como podeis odiar o dólar? Mateus Holden, esse dólar é parte do bem ilimitado, o Deus infinito que se acha no centro de toda expressão; é uma das Suas expressões. É Sua Substância criada pela Sua Inteligência e posta em circulação pelo Seu Poder. Não vedes, Mateus Holden, que esse dólar é vosso amigo e vos foi dado pelo amigo invariável, que é Deus? É parte do Seu Todo, um fruto do galho da árvore total. Sois um dos galhos, o dólar que mentalizais é parte do fruto. Os vossos amigos são mais frutos. Adquiri amigos. Se não podeis tê-los de outra forma, ide ao vosso trabalho e adquiri-os em pensamento. Fazei-vos criança por alguns momentos e jogai cientificamente o fazer de conta. Fazei de conta que tendes numerosos amigos e que todos os inimigos que tivestes vos olham com expressão de amor e simpatia, e esperai os resultados. Apenas observar e esperar. Com a mesma certeza que o dia vem depois da noite, tereis posto em atividade uma corrente de bondade que arrastará até os últimos vestígios de vossa má sorte. A vossa fortuna virá. Tentai isso, Mateus Holden. Tentar meu plano nada vos custará. Dar-vos-á isto alegria ao menos menos por momentos. Se ele vos der prazer por algum tempo, já valerá o esforço, porém, se vos alegrar um pouco, continuarei com ele, dedicando mais tempo a esse admirável trabalho mental. Sei muito bem que não podeis aplicar vossa mente dessa forma, sem que vossos pensamentos sejam seguidos de atos semelhantes. E, como sabeis, os homens pagam as boas ações, pois elas são serviços’;

“Sim, senhora, foi isso que me dissestes e aqui estou eu, alegre, próspero e um tanto mais instruído do que quando vos vi pela primeira vez, há uns oito anos. Naquele tempo, tinha uma lojinha e julgava que o melhor que me restava a fazer era abrir falência. Hoje estou na casa que criei mentalmente. Mantive em atividade contínua esse pensamento, e os negócios foram aumentando gradualmente até que foi preciso comprar outra casa por aumentar o negócio, o que já fiz por quatro vezes. Onde tinha um só freguês, hoje tenho vinte. Eles vêm de outras localidades para comprar os objetos no meu armazém, pois dizem que são melhores ou mais baratos do que os dos outros.

“O reto pensar traz o êxito, e o pensar errôneo levar ao insucesso. É coisa que não custa um cêntimo e dá grandes dividendos”.

Todas as vezes que vos encontrardes em condições difíceis de resolver, recorrei ao princípio da não-resistência. Por exemplo, se vos parecer que alguém pretende fazer-vos uma pergunta, cuja resposta vos será desagradável dar, não vos contrarieis por isso, mas afirmai que essa pergunta não vos será feita e colocai o assunto nas mãos de vosso Cristo interno, que resolverá tudo sem terdes dificuldade.


*A autora escreveu em 1922

Nenhum comentário:

Postar um comentário